Carpe Diem
“Talvez eu seja uma caixa de palavras, mal organizadas, mas que se juntar, vira um texto, que quem vê até diz que é planejado.”
CREDITS©

Ouvi dizer que você tá bem. Que já tem um outro alguém. Encontrei moedas pelo chão, mas não vi ninguém pra me abraçar, me dar a mão. Eu chorei sem disfarçar, quando vi seu carro passar. Vi todo amor que em mim ainda não passou. Eu já não sei bem aonde vou, mas agora eu vou. Tentei falar mas você não soube ouvir, tente admitir, tentei voltar e pude ver o quanto errei. Te amei mais que a mim. Ah, bem mais que a mim, mais que a mim.
Ana Carolina   (via reatou-se)




Darwiniana psicopatia para me fazer prevalecer, que gene é esse que me falta? A ansiedade me afoga em busca de adaptação, o carrasco me afaga antes de puxar a alavanca, o coração salta da caixa do peito, são lobos de terno e um “salve-se quem puder” em modo repeat ecoando de um mundo com defeito, cada um por si atrás do osso. Só resta eu me fazer de bobo, com água até o pescoço, tentando sobreviver.
Transtorno Poético, Trecho de “Adaptação”. (via cinzaste)


Seu cheiro se impregnou em mim,
mas não é cheiro de rosas, ou pinheiros.
nem de nenhuma estação do ano,
muito menos de álcool, ou qualquer fragrância que já fora descoberta
mas é um cheiro de ar, cheiro de pássaros a voar.
Cheiro de paz, de alma. Seu.


Pudera eu

ser o verso que escapole
e me dissolver nesse olhar nu

Quisera eu

ser o ar rarefeito que te engole
me despir pra esse teu azul

Pudera eu

me projetar nas tuas curvas
cálidas e turvas

Quisera eu

ser arte na tua pintura
me entrelaçar na tua cintura

Pudera eu

ser o soneto
entre o teu azul
e o meu preto.

Amor com Vinho   (via oxigenio-dapalavra)

E por um determinado momento eu pensei em largar de mão, desistir. Só que um segundo depois me fiz às seguintes perguntas: a gente desiste da gente? A gente desiste dos nossos sonhos assim tão fácil? A gente se preocupa tão pouco em resgatar o que nos faz bem? E eu larguei tudo o que me prendia de forma negativa nessa fase ruim e concentrei todas as minhas forças em recuperar o que a gente tinha. Tinha não, tem. E eu descobri. Desistir de você, era a mesma coisa que desistir de mim mesma. Como eu poderia deixar escapar de uma maneira tão estúpida a razão da minha felicidade? Enquanto milhares de pessoas estão à procura dela, eu com a sorte que tenho de ter encontrado, ia deixar escapar assim? E foi a partir dessa pergunta, que encontrei todas as respostas. E elas não poderiam ser melhores.
Tati Bernardi.  (via acrescentada)